quinta-feira, setembro 02, 2010

"Ab Alma Mater Ad Delirium Malum"

2 comentários:

Bia disse...

Bom dia e aquele ABRAÇo...Já partilhei na página do Facebook...Tudo, é pouco para divulgar a tua OBRA...Para quando a próxima???Bjs

P!P! disse...

As tuas mãos levam-nos por caminhos onde tudo, mesmo o impossível, parece e se torna possível. Nessa caminhada mistura-se a razão e a alienação, o consciente e o inconsciente, o real e o surreal. Por vezes, uma simples chave basta para abrir o portal da imaginação; outras vezes a porta está apenas entreaberta, à espera que alguém a abra; outras ainda, nem porta há – é um espaço aberto sem paredes, sem tecto e sem chão.
A partir de uma tela em branco ofereces algo que me (nos) desperta… é como se fosse um País das Maravilhas… e eu (nós) fosse(mos) a Alice. Espreita aqui, vai por ali, olha no espelho, segue por um corredor que dá para um labirinto onde a cada esquina pode surgir o sonho… a angústia… as alegrias… as tristezas… a vida… a MAÇÃ!