segunda-feira, julho 19, 2010

Cartografia de um Sonho

(120 cm x 100 cm)

O meu barco de sonhos, carcomido pelas tempestades que se abateram ao longo dos anos, levou-me de volta às origens. Das suas fendas vejo a mão amarela do tempo que, misturada com os cabelos azuis de um céu único, dá mote à minha bandeira.
Viajo no meu interior, numa paisagem que me é familiar. Calcorreio a rua axadrezada que me transporta do passado ao presente. Tudo permanece imutável. A humidade do tempo agarra-se ao coração, que dá corpo a estas pedras.
A luz da maçã acompanha o itinerário. Sinto o sangue a bombear as minhas veias, que se enchem de vida. Que fogo é este que devora a beleza?

3 comentários:

Bia disse...

A maçã é a ÂNCORA desse barco.
O tabuleiro de xadrez estendeu o seu tapete pela rua, deixando-a colorida. É que, tendo regressado às origens, "roubou" um pouco da cor do tempo e transformou-a, misturando-se com o azul dos cabelos que emolduram a rua, dando "rosto" às memórias.
E com o coração batendo, com o sangue em movimento, as entranhas remexem de emoção...
É nesse vendaval que qualquer mortal sente que os dias se vão amontoando e transformando em anos que devoram a beleza da juventude... Mas a Maçã encarregar-se-á de mostrar aos vindouros que por ali passou GENTE que soube deixar a sua marca cravada no xadrez da rua, no amarelo do tempo, no sangue que lhes corre nas veias...

ams disse...

Arnaldo,

Por vezes, temos necessidade de parar o nosso barco e reavaliar a nossa rota.
Por vezes, há que ler as coordenadas na cartografia da vida e dos sonhos, respirar fundo, e pensar… atrás de uma tempestade surge sempre a bonança. A maçã está sempre presente, na vida e nos sonhos. Irradia a luz que orienta o nosso barco e conduz-nos através do tabuleiro de xadrez da vida. É um íman omnipresente que nos atrai, mesmo sem o sentirmos.
Por vezes, temos de fazer uma pausa para apreciar e saborear os doces momentos que vivemos e que dão alento para continuarmos.

Abraço

Nuno Vaz Ribeiro disse...

devias era pintar a bairro Hotel do Padre;)