segunda-feira, abril 04, 2011

Adão e Eva

(80cm x 60 cm)

A noite está a chegar tingida de um amarelo enigmático... O rosto lânguido de Adão é uma montanha que recebe todo o calor da planície curvilínea de Eva. A mesa do xadrez está posta. A Ampulheta, em queda, cronometra o tempo adormecido. Neste jardim, pleno de profanação de profecias, uma árvore estica o braço, oferecendo a Maçã. Alheio às dádivas do Éden, o barco dos sonhos continua a navegar na senda das estrelas...

3 comentários:

Bia disse...

A Maçã cai docemente sobre a Montanha, que se debate entre a viagem no barco dos sonhos e o calor da planície que se estende...ali mesmo junto do seu corpo...O tempo urge...há que fazer a escolha que maior prazer poderá proporcionar. Afinal, o jardim do Éden está prestes a ficar nas trevas...é que, a luz dourada do final do dia irá repousar por trás da Montanha, onde gosta de aninhar-se. A escolha é sempre um caminho difícil, mesmo no jardim, onde as promessas parecem dar um tom dourado a tudo em redor!

Planície disse...

Encanta-me, o dourado do Sol se pondo para um Novo Amanhecer.
De um tempo adormecido, mas não esquecido, onde à Árvore da Vida sempre aparece e faz sonhar, ver estrêlas, porque somos LUZ...

Lindo teu quadro.

ams disse...

Não sei que mistério
prende meu coração ao dia de hoje.
Tanto, que me parece
que estou ausente da vida
e apenas real nesta paisagem.


Albano Martins, in "Vocação do Silêncio"