segunda-feira, agosto 10, 2009

LUDUS SCAENICI

(120cm x 100cm)

Largando um rasto branco, os dias passam por mim a toda velocidade. A cada dia que cessa, o tempo endurece o seu porte atlético, e eu permaneço mais tempo estático na minha insónia. Bebo a agonia do cansaço. O tabuleiro da vida flutua. Os pássaros incolores cantam a dor e gritam palavras de socorro; os submarinos, que passam por baixo do assento, navegam em terra; os aviões não conseguem voar… A energia está a esgotar-se. Os meus cabelos despenteados estão brancos. O que se passa com as minhas veias? Sofro de uma doença doente…As cortinas estão prestes a fechar. Sou um toxicodependente! Estou viciado em sniffar a vida. As raízes continuam a crescer e a prender-me a este palco. Os peixes observam-me no céu. A maçã está mesmo no termo, mas ainda podem chover balões de imaginação. E eu vou ouvindo as palavras dos portões…

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios... Por isso, cante, ria, dance, chore e viva intensamente cada momento de sua vida, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos..." Charlie Chaplin

9 comentários:

Mαğΐα disse...

Xiiiiii marciano...

Deixaste-me sem palavras. Primeiro o quadro... depois as palavras... Só tenho pena que a foto não dê para aumentar e não dê para apreciar o quadro como eu gostaria.


(Adoro essa frase do Chaplin, diz-me tanto...)

Anónimo disse...

Muito bom, mesmo. Estas cá um artista.
Ricardo Caravalhal

Carolina Braga disse...

Olá Arnaldo! Como vai?

Em primeiro quero agradecer a sua visita e comentário! Obrigada! ;)

Realmente você é um artista...
belíssimo o quadro, em harmonia com as suas palavras e fechou com chave de ouro com a citação sábia de Charlie Chaplin! Parabéns!

Abraços e até mais.

ams disse...

"Ninguém avança pela vida em linha recta. Muitas vezes, não paramos nas estações indicadas no horário. Por vezes, saímos dos trilhos. Por vezes, perdemo-nos, ou levantamos voo e desaparecemos como pó. As viagens mais incríveis fazem-se às vezes sem se sair do mesmo lugar. No espaço de alguns minutos, certos indivíduos vivem aquilo que um mortal comum levaria toda a sua vida a viver. Alguns gastam um sem número de vidas no decurso da sua estadia cá em baixo. Alguns crescem como cogumelos, enquanto outros ficam inelutávelmente para trás, atolados no caminho. Aquilo que, momento a momento, se passa na vida de um homem é para sempre insondável. É absolutamente impossível que alguém conte a história toda, por muito limitado que seja o fragmento da nossa vida que decidamos tratar."

Henry Miller, in "O Mundo do Sexo"

Adorei! Parabéns!!!

le.arp disse...

parabéns , pestinha é fabuloso.

Anónimo disse...

parabéns pelos seus trabalhos,espetaculares,um abraço do amigo,Claudio.

Anónimo disse...

Mac
Ainda dizes tu que não perdia grande coisa...
Linda esta tela , o homem agarrado á vida... E que vida essa cheia de raízes , cheia de emoções !!! Viciado por viver! Gostei muito. Parabéns.
Um kiss ou mais
( basta quereres)
Gala

Lua de Papel disse...

Esse local de onde você é ainda está dentro dos limites marítimos nacionais? (risos)

Quanto ao post eu até diria mais... ' a vida é como um teatro! Tenta conseguir, pelo menos um, papel de jeito para que ela tenha valido a pena'
mas afinal não posso dizer, porque:
1 - O Sttau Monteiro já o disse e muito melhor dito.
2 - Ainda não encontrei o argumento certo para o meu.

Gostei do teu blog!

Clara disse...

A tela está perfeita!