domingo, fevereiro 18, 2007

HOMENAGEM A MÁRIO CESARINY

( 90cm x 60cm )
Poeta e pintor. Divulgou e incentivou até aos nossos dias as concepções artísticas do movimento surrealista em Portugal...Hoje nada vou escrever sobre esta tela, deixo um poema de Cesariny!!! FAZ-ME O FAVOR

Faz-me o favor de não dizer absolutamente nada!
Supor o que dirá
Tua boca velada
É ouvir-te já.

É ouvir-te melhor
Do que o dirias.
O que és não vem à flor
Das caras e dos dias.

Tu és melhor--muito melhor!--
Do que tu. Não digas nada. Sê
Alma do corpo nu
Que do espelho se vê.

8 comentários:

Sandra Carvalho disse...

Então não digo, mandas-me calar rs...Mas sou teimosa e agora vou
falar: Está maravilhoso este teu
quadro, muito bem posto cada detalhes que representa o poeta e
pintor surreal. Já agora percebes
o quanto evoluio nas tuas palavras
e pinturas? Meus parabéns...
Tu que és melhor, deixo o meu beijo

Anónimo disse...

AME A ARTE, POIS DE TODAS AS MENTIRAS ESTA TALVES SEJE A MENOS FALSA.
VC NÃO ME PERGUNTOU ATE ONDE EU IRIA

José Lobo disse...

Este poema é de Fernando Pessoa.

PESTINHA disse...

EU SEI
TUDO PODE ACONTECER
EU SEI
O NOSSO AMOR NÃO VAI MORRER
VOU PEDIR AO CEUS VC AKI COMIGO
VOU JOGAR NO MAR FLORES PATA TE ENCONTRAR

NÃO SEI PK, VC DISSE ADEUS
GUARDEI O SORRISO K VC ME DEU(GUARDEI O BJ K VC ME DEU)
VOU PEDIR AOS CEUS VC AKI COMIGO
VOU..
JOGAR NO MAR FLORES PARA TE ENCONTRAR...

(PAPAS NA LINGUA-EU SEI
YOU TUBE.)

É ESTA MUSICA K ME TRAS VC.
SAUDEDAS.

.*.Magia.*. disse...

"Afinal o que importa é não ter medo..."

Olá Marciano Pintor!
Vim saber de ti...

Encontrei-te a meio de uma homenagem!

Um beijinho para ti...

Filipa disse...

Em todas as ruas te encontro

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto, tão perto, tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco

Mário Cesariny

Sandra Carvalho disse...

Estação

Esperar ou vir esperar querer ou vir querer-te
vou perdendo a noção desta subtileza.
Aqui chegado até eu venho ver se me apareço
e o fato com que virei preocupa-me, pois chove miudinho

Muita vez vim esperar-te e não houve chegada
De outras, esperei-me eu e não apareci
embora bem procurado entre os mais que passavam.
Se algum de nós vier hoje é já bastante
como comboio e como subtileza
Que dê o nome e espere. Talvez apareça

Mário Cesariny


Meu Beijoooooooooooooo

Filipa Assis disse...

voz numa pedra

Não adoro o passado
não sou três vezes mestre
não combinei nada com as furnas
não é para isso que eu cá ando
decerto vi Osíris porém chamava-se ele nessa altura Luiz
decerto fui com Isis mas disse-lhe eu que me chamava João
nenhuma nenhuma palavra está completa
nem mesmo em alemão que as tem tão grandes
assim também eu nunca te direi o que sei
a não ser pelo arco em flecha negro e azul do vento

Não digo como o outro: sei que não sei nada
sei muito bem que soube sempre umas coisas
que isso pesa
que lanço os turbilhões e vejo o arco íris
acreditando ser ele o agente supremo
do coração do mundo
vaso de liberdade expurgada do menstruo
rosa viva diante dos nossos olhos
Ainda longe longe essa cidade futura
onde «a poesia não mais ritmará a acção
porque caminhará adiante dela»
Os pregadores de morte vão acabar?
Os segadores do amor vão acabar?
A tortura dos olhos vai acabar?
Passa-me então aquele canivete
porque há imenso que começar a podar
passa não me olhas como se olha um bruxo
detentor do milagre da verdade
a machadada e o propósito de não sacrificar-se não construirão ao sol coisa nenhuma
nada está escrito afinal

Mário Cesariny