terça-feira, maio 24, 2011

Entre as Tintas e as Palavras



"Eu acho que se se é surrealista, não é porque se pinta uma ave, ou um porco de pernas para o ar. É-se surrealista porque se é surrealista!"

Mário Cesariny

1 comentários:

ams disse...

Escrevia Octávio Paz, num extenso poema, que reproduzo aqui (versão reduzida):
O surrealismo tem sido a maçã de fogo na árvore da sintaxe
(...)
O surrealismo tem sido o discurso da criança soterrada em cada homem e a
aspersão de sílabas de leite de leoas sobre os ossos calcinados de Giordano
Bruno
O surrealismo tem sido as botas de sete léguas dos foragidos das prisões da
razão dialética e a tocha de Pulgarcito que corta os nós da trepadeira venenosa
que cobre os muros das revoluções petrificadas do século XX
O surrealismo tem sido isto e isto e isto

Abraço de reconhecimento pelo trabalho que tens vindo a desenvolver. Desejo-te muito sucesso!