terça-feira, janeiro 11, 2011

Estocada

(55cm x 65 cm)

Em plena arena, uma luz cita e abeira-se dos meus pensamentos cravando-lhes uns ferros curtos. A maçã, aturdida, atreve-se a fazer uma pega de caras. O touro encampana-se, levanta a cabeça e desafia a maçã. Atraído pelo fruto despedaça a capa de linho celeste dando-lhe uma estocada. Ferida de morte na lide, a maçã esvai-se em seiva que alimenta os meus pincéis.

2 comentários:

Bia disse...

A seiva que corre para o MAR de pensamentos e que os ALIMENTA...A maçã que se esvai, mas não morre! Tantos tormentos, tantos infortúnios não são suficientes para que Ela se dissipe...Tentas que a sua imagem "morra", mas sempre há motivo para que regresse à tela e de novo os pincéis, alimentados por essa seiva, lhe dão VIDA...Pincéis, tela em branco e pensamentos, a trilogia que nos presenteia com as Tuas OBRAS... Até breve, quando surgir a próxima Aventura da Maçã!

Sabes_Kem_eu_sou disse...

Triste touro que ainda se ilude com a maçã. A maçã, essa é uma imortal, que se alimenta da vitalidade dos outros. As pessoas, os pensamentos, os sentimentos passam… a maçã permanece. O touro pensa ter toureado a maçã, mas a maçã é que está a lidá-lo - uma espécie de predador que passou a presa (tantas redes lançou que acabou emaranhado nelas).