segunda-feira, março 09, 2009

FRAGMENTOS

( 120cm x 90cm )

Algures, num tempo... Num espaço imaginário, num pedaço do nada, num tempo perdido... Espero-te no vai e vem das vidas. Na tela solta-me a alma, uma ponte desfaz-se no infinito, num mar suspenso no céu, com os seus peixes que nadam em regozijo e liberdade. Meu Barco dos sonhos encontra se num manto de areia, estando a ser puxado pelo cavalo do xadrez da vida. Enquanto eu corro para casa de banho, onde tudo o que é vómito abandona a minha mente... Afinal o que sonhamos é o que verdadeiramente nós somos... Eu vou estar contigo algures, num tempo...

15 comentários:

contracena disse...

Olá Mac, bem-vindo.
De vez em quando vinha dar uma espreitadela, mas a "paisagem" era sempre a mesma.

... e somos tudo e somos nada..., e a vida é mesmo feita de fragmentos, pedaços de tempo..., sei lá..., e já não tenho idade p'ra pensar muito... :)..., deixo-me levar "... pelo cavalo do xadrez da vida. ...", mas de olhos abertos!

Um abraço.

contracena disse...

Mac, não se importa que eu coloque o seu "link" no CONTRACENAR, pois não? Assim saberei facilmente quando publica.

Abraço.
Fátima

Obs.: gosto muito do vídeo aqui ao lado. Da música +/- .

MulherSempreaProcura33\'s disse...

caro! sei que meu blog nada tem a ver com o teu?! mas amaei teu video e por favor me perdoe eu o postei la no meu erotizado espaço....bjus
ps: fui em teu perfil para ver se poderia conhecer-te melhor, mas qual nada! poe la algo para quem quizer...mais bjus

A Bolotinha disse...

...sempre que te visito meu amigo, fico deslumbrada!!! para quando uma exposiçao em Estremoz???

ams disse...

“Nem os dias longos me separam da tua imagem.
Abro-a no espelho de um céu monótono, ou
deixo que a tarde a prolongue no tédio dos
horizontes. O perfil cinzento da montanha,
para norte, e a linha azul do mar, a sul,
dão-lhe a moldura cujo centro se esvazia
quando, ao dizer o teu nome, a realidade do
som apaga a ilusão de um rosto. Então, desejo
o silêncio para que dele possas renascer,
sombra, e dessa presença possa abstrair a
tua memória.“
Nuno Júdice

Artista Maldito disse...

Olá Mac

E o que sonhamos, através do eco do nosso pensamento, é a ponte entre o real e o "algures". No xadrez se definem posições, mas no cheque-mate da vida o cavalo avança e com ele os sonhos se fazem ou desfazem.

Divaguei no tempo e naveguei um pouco pelo teu universo.

A música e o vídeo hipnotizam.

Beijinhos também coloridos
Isabel

Papoila disse...

Grata pela visita ao campo!
Este espaço é fabuloso! Parabéns!
Beijos

Teresa Durães disse...

espero que não sejamos nós próprios nos sonhos porque às vezes estes são tão confusos e não tenho a ideia de eu ser assim

contracena disse...

Boa noite, Mac.
Não há nova publicação - sem comentários!

Fique bem, Arnaldo!

Anónimo disse...

Confidência

Diz o meu nome
pronuncia-o
como se as sílabas te queimassem os lábios
sopra-o com a suavidade
de uma confidência
para que o escuro apeteça
para que se desatem os teus cabelos
para que aconteça
Porque eu cresço para ti
sou eu dentro de ti
que bebe a última gota
e te conduzo a um lugar
sem tempo nem contorno
Porque apenas para os teus olhos
sou gesto e cor
e dentro de ti
me recolho ferido
exausto dos combates
em que a mim próprio me venci
(...)

Mia Couto

Apeteceu-me
Bjs

Amèlie :-D

Su disse...

delirei..............

......aqui......

.....algures


jocas maradas de tempo

frAgMenTUS disse...

e essa localização fica em santarém, torres novas, certo?

frAgMenTUS disse...

gostei da msg destes fragmentos, à parte a refª do vómito...
dia feliz

Clara disse...

Arnaldo,
obrigada pela tua visita e pelas palavras que deixaste no meu espaço.

Ao percorrer o teu blogue, deparei-me com uma perfeita simbiose entre as palavras e a pintura. Fiquei rendida!

Beijinhos

A Bolotinha disse...

Amigo linkeite no meu blog passa por lá e espreita!!1