quinta-feira, agosto 11, 2005

QUASE MULHER E MUITO MOSCA.


Nada melhor que pôr as palavras de Alexandre O'Neill...


A mosca Albertina, que ele domesticava. Vem agora ao papel, como um insecto-insulto; Mas fingindo que o poeta a esperava...
Quase mulher e muito mosca, Albertina quer o poeta para si; Quer sem versos o poeta; Por isso fica, mosca-mulher, por ali... (Alexandre O'Neill)

6 comentários:

Sandra Carvalho disse...

Qual mulher não se sentiria
honrada em saber que a obra
de arte de uma artista do nível
que és tu, foi dedicada a ela?
Obrigado querido, e parabéns pela
belissíma obra, como és tudo
que faz.....

Miguel Videira disse...

Fuma menos Analdo!!!
Já agora, o k é 1 "insecto-insulto"?
Gostas pouco gostas....

Paula Castro disse...

São as coisas mais simples da vida k nos dão a alegria e a vontade de seguir em frente...para quê complicar o simples e o óbvio? Para mim este quadro é uma especie de renascer do k já nasceu...Todos os dias são importantes até os mais infelizes,pois com esses aprendemos a crescer.Esta mosca ou insecto camuflado em figura de mulher transmite bem o k por vezes acontece com cada um de nós.É o querer voar e não ter asas e se as temos não voamos tão alto quanto desejamos.A escola da vida é a k mais ensina e só aprende com ela quem realmente for muito "mosca"...Arnaldo se as tuas asas te levam ao limite da imaginação,então continua a voar e nunca te preocupes em ser quase alguma coisa porque quem pinta assim já é quase tudo.

Anónimo disse...

Sabes uma coisa? Essa Mosca, ama esse pintor por demaisss

Beijossss meu Bruxinho lindinho

Anónimo disse...

Pissitt zummm zumm zumm a Mosca passando para ver o Blog dela
Muitos beijinhos da Mosca

A MOSCA disse...

No mundo não existe alguém que ti ame mais que essa MOSCA, só DEUS