terça-feira, agosto 30, 2005

MEMORIAL DAS DISCOTECAS

(120cm x 120cm)

Apetece-me dizer...era uma vez...no tempo dos meus 16 ou 18 anos, em que as discotecas eram assim: Esperava-se que a pista de dança abri-se (quer dizer, ela estava sempre aberta) o que quero mesmo dizer é que a musica começava a tocar para o pessoal dançar, bebia-se uns copos de cerveja ou aqueles que tivessem um pouco mais do nosso querido escudo (que se aguentava mais nos nossos bolsos que este maldito Euro) bebiam umas cubas livres. Entretanto abria a pista e a luz dava o sinal... um grito de uma gaja e o som de musica para um filme de ficção cientifica...muito flash, muito fumo... (fumo nao é o que estão a pensar). Então lá vinha a musica para dançar... nada melhor que "Magnificent seven"-The Clash para os impacientes dançarem na pista, enquanto que outros se encostavam-se ao Bar a beber e no engate. Bem, também havia aqueles que iam para o sofá roçar o tolinhas com a sopeira da vizinha. Começa aquele cheiro a suor e a perfume barato no ar. Estáva na hora do slow, ou melhor dizendo, estava na hora de roçar o tolinhas numa pachácha bem protegida com a roupa, e sentir umas mamocas grilhoadas no peito...CARALHO Arnaldo vais deixar de pintar e vais escrever um diario...?!?!?!?!

7 comentários:

racosta disse...

A juventude de agora (os menores de 26 anos) nem sabem o que era isso de esperar pela abertura da pista! Das guerras que existiam entre discotecas para ter a melhor abertura, com luzes e música misturada durante horas a fio para bater tudo certinho nas próximas sessões. Tudo isto feito em cassetes, não havia CD's CDR's DVD's nem MP3's nem PC's, era só pratos para girar os discos de vinil, uma mesa e um gravador de K7's.
Era mais díficil mas fazia-se... agora não! :(

Sandra Carvalho disse...

Como diz o meu Rei...
"Velhos tempos, belos dias."
Gostei do teu quadro, me fez
lembrar um sonho. Eu fico encantada
com a forma como tu pintas...
Mas não deixas de ser pintor
quem vai escrever sou eu :)

Maria Afonso Sancho disse...

Oh! Arnaldo
E se te focasses nas coisas boas da vida?
;-))

Maria Afonso Sancho disse...

Mas tenha sempre isto presente: as discotecas servem acima de tudo para destruir a cabeça do frequentadores.
e as bebidas e comidas servem para destruir o corpo. :-((

Paula Castro disse...

Também sou do tempo em k se esperava para k a pista abrisse...aliás,a minha primeira paixão de adolescente surgiu numa discoteca...a dita paixão platónica!Já dizia o poeta:"mudam-se os tempos mudam-se as vontades" e isso é bem verdade.Hoje tudo é diferente...a magia da musica e das luzes tem outro sentido e perdeu-se um pouco o espirito de diversão.O k antes era um sitio para conheceres pessoas e passares umas horas a fazer "higiene mental" hoje mais parece uma selva em k não existem regras.Gosto deste quadro porque nele imagino-me a reviver os bons e velhos tempos.

Mαğΐα disse...

Xiiiii....

Não me lembrava nada deste texto, mas já o tinha lido porque já li o teu blog todinho uma vez...

Que cool... cum caraças... lembro-me desses ambientes...
e agora vou-me embora daqui que o teu blog está a mexer (muito) nas minhas melancolias....

Mαğΐα disse...

Deve ser da porra da musica!

Só pode!